Zumbido pode indicar que algo está errado

zumbido questão de saude publica

O zumbido é um sintoma comum na clínica otorrinolaringológica e pode ser definido como a percepção de sons na ausência de estímulo sonoro externo. A presença de zumbido pode indicar que algo está errado em algum ponto do sistema auditivo. Ele também pode ser o resultado de uma série de condições de saúde, como a perda auditiva induzida por ruído, trauma acústico, presbiacusia, distúrbios metabólicos, ingestão de medicamentos, infecções do ouvido, comprometimento somatossensorial e/ou comorbidades crônicas. Também pode estar presente em indivíduos com audição normal.

Apesar de sua alta prevalência, não existem, no Brasil e na cidade de São Paulo, estudos epidemiológicos realizados na população em geral para determinar a frequência do zumbido em nossa comunidade. Estimativas sobre a prevalência de zumbido divergem entre os diversos estudos epidemiológicos existentes, mas resultados previamente publicados apontam para  uma frequência de aproximadamente 10% a 15% na população adulta em geral.

As dificuldades na realização desse tipo de pesquisa e a fonte de incerteza em estudos epidemiológicos são baseadas em dois fatos principais: a severidade do zumbido só pode ser avaliada pelo próprio paciente, e não existe medida objetiva para o sintoma. Segundo a literatura, a maioria dos indivíduos com zumbido não se incomoda com o sintoma, e que só um quarto destes buscam ajuda profissional.

O grau de incômodo com o sintoma frequentemente varia ao longo do tempo, e uma pequena, mas significativa parcela dos pacientes relata que o zumbido interfere diretamente em suas atividades diárias, provoca alterações na qualidade de vida e modificações substanciais de comportamento, incluindo ansiedade, frustração, irritabilidade, depressão e distúrbios do sono.

Em 1% a 2% dos casos, o zumbido representa incômodo o suficiente para afetar  significativamente as atividades cotidianas.

Sabe-se que a prevalência de zumbido está diretamente relacionada com idade e com as perdas auditivas; entretanto, a exposição ao ruído também é um fator de risco bem estabelecido e conhecido, e uma das causas mais comuns de zumbido. Centros urbanos como São Paulo emergem como um oásis de exposição diária ao ruído e à poluição sonora ambiental. Podemos citar como exemplos os tráfegos terrestre e aéreo excessivos, os espaços públicos superlotados, shows, concertos e atividades recreativas ao ar livre, partidas esportivas, e até mesmo o ruído doméstico proveniente de equipamentos de lazer, segurança e eletrodomésticos.

A expectativa é que a prevalência de zumbido aumente no futuro, não apenas entre adultos e idosos, como consequência do aumento da longevidade e das comorbidades crônicas, mas também entre adolescentes e crianças, pela maior exposição ao ruído em ambientes de ensino, lazer e, em especial, pelo uso abusivo de dispositivos musicais de escuta individual. Portanto, é razoável inferir que queixas clínicas auditivas, como o zumbido, devem emergir como um problema de saúde pública.

Jeanne Oiticica é otorrinolaringologista, graduada em Medicina pela Universidade Federal de Alagoas (1998). Possui doutorado em Otorrinolaringologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP-2005). Atualmente, é chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do HC-FMUSP, médica assistente do departamento de Otorrinolaringologia da FMUSP, chefe do Laboratório de Investigação Médica (LIM 32) do Hospital das Clínicas da FMUSP, responsável pelo Ambulatório de Surdez Súbita do Departamento de Otorrinolaringologia da FMUSP. Site: http://jeanneoiticica.site.med.br/

 

Os deficientes também precisam se divertir!
Diagnóstico precoce da perda auditiva
The following two tabs change content below.

Juliana Tavares

Juliana Tavares é jornalista, empreendedora, editora de conteúdo e diretora de atendimento da j2 Comunicação. É, ainda, colaboradora da Eaxdesign, em portais de negócios, comportamento, inclusão social e turismo.

Últimos artigos por Juliana Tavares (Ver todos)

 

2 comentários

  1. Eduardo Guimarães disse:

    Bom dia,
    Meu zumbido iniciou após uma descida brusca de avião, onde senti muita dor nos 2 ouvidos, após 2 dias com zumbido fui ao otorrino e após alguns exames ela disse que tive um barotrauma com hemorragia num dos ouvidos e que em dias o zumbido iria sumir e me receitou cortisona, como não sumiu procurei outro otorrino e essa me fez vários exames e em um determinado exame deu tuba impermeável completa em um lado e 80% no outro que incomoda muito pouco, enfim já tem 5 meses com esse zumbido que considero um pouco irritante, atualmente estou usando rinossoro, busonid e ginkgo bilola 80 mg, segundo a medida é um tratamento demorado e as vezes não tem cura, essa semana estive nela e me pediu um TC Mastoides para ver se tem muco ao redor do ouvido.

    • Juliana Tavares disse:

      Caro Eduardo, obrigada por compartilhar sua história conosco. Esperamos, sinceramente, que seu problema seja diagnosticado e devidamente tratado. Avise-nos se tiver alguma novidade a respeito – e fique à vontade de descrever se o tratamento está progredindo. Abraços

Deixar um comentário

 
 



 

Sobre nós


O portal Deficiência Auditiva foi idealizado por uma equipe de profissionais preocupada em alertar a população sobre aspectos relacionados à deficiência auditiva.

Nossas Rede Sociais