Ruído ocupacional pode causar zumbido

trabalhadores-fazendaUm estudo realizado pelo Instituto Nacional para a Segurança e Saúde Ocupacional (NIOSH) dos EUA mostrou que 15% dos trabalhadores que foram expostos ao ruído ocupacional em algum momento de suas carreiras têm zumbido.

O zumbido pode ser constante ou intermitente, e parecer com um assobio, rangido ou um som pulsante. Pode ser muito leve em intensidade e só perceptível em uma sala silenciosa ou ser extremamente alto e irritante, de modo que o paciente não ouve nada além dele. “O zumbido é muito comum entre os trabalhadores expostos ao ruído, mas ainda são poucos os gestores de saúde e segurança que estão cientes das consequências deste problema para a empresa e para os funcionários”, diz Elizabeth Masterson, epidemiologista do NIOSH em Cincinnati.  “O zumbido é um sintoma e pode causar perda auditiva. E assim como qualquer outra forma de perda auditiva ocupacional, é passível de indenização pela companhia.”

Os trabalhadores na agricultura, silvicultura, pesca e caça apresentam um risco significativamente maior de zumbido, de acordo com o estudo. Em contrapartida, apenas 13% dos trabalhadores da indústria sofrem de zumbido, embora quase metade (43%) deles estejam expostos a ruídos no trabalho. “Os agricultores precisam lidar com sons altos de máquinas e animais, mas não são regulados por normas de saúde e segurança”, revela a estudiosa.

Na silvicultura, o índice de zumbido entre os trabalhadores também é signficativo. Eles costumam cortar árvores com motosserras e outros equipamentos, geradores de ruído e de monóxido de carbono, o que aumenta o risco de perda de audição por se tratar de um produto químico ototóxico e asfixiante. Algumas ocupações na pesca também têm alta exposição ao ruído, tais como trabalhar perto da sala de motor ou caldeira. Outros trabalhadores com maior risco de zumbido, segundo o estudo, estão nas metalúrgicas, indústrias de vestuário, carvão e madeireiras.

O estudo também mostrou que o zumbido pode aumentar potencialmente o risco de acidentes porque pode impedir os trabalhadorse de ouvir comunicados importantes. “Além disso, o zumbido afeta o sono e a concentração. “Se você está vindo para o trabalho cansado, isso pode ser um problema para o seu nível de alerta”, diz Masterson.

Como prevenir

A perda auditiva ocupacional é totalmente evitável e a primeira coisa a fazer é empregadores se conscientizarem sobre a importância de medir o ruído e minimizar o seu impacto no local de trabalho.  Também é fundamental desenvolver um programa de controle de ruídos, que inclui  maneiras de eliminá-los através de manutenção e substituição dos equipamentos, criação de salas a prova de som para máquinas barulhentas, redução do tempo de exposição ao ruído a partir de turnos de trabalho e realização de treinamentos frequentes sobre a utilização dos protetores auriculares, com supervisão contínua.

“Os trabalhadores devem ser submetidos a testes audiométricos anuais para que possam saber se a perda auditiva está ocorrendo”, explica Masterson. “É fundamental educar os trabalhadores sobre o que é o zumbido, seus riscos e possíveis tratamentos”, diz. “Há várias opções de tratamento disponíveis para o zumbido, entre eles as terapias de som. Com as terapias adequadas e apoio de empregadores, os trabalhadores com zumbido podem recuperar a qualidade de vida e a produtividade.”

Fonte: Occupational Safety

Analgésicos podem causar perda auditiva sobretudo em mulheres
Menos pessoas se envergonham de usar aparelhos auditivos
The following two tabs change content below.

Juliana Tavares

Juliana Tavares é jornalista, empreendedora, editora de conteúdo e diretora de atendimento da j2 Comunicação. É, ainda, colaboradora da Eaxdesign, em portais de negócios, comportamento, inclusão social e turismo.

Últimos artigos por Juliana Tavares (Ver todos)

 

Nenhum comentário

Seja você o primeiro a deixar seu comentário!

Deixar um comentário

 
 



 

Sobre nós


O portal Deficiência Auditiva foi idealizado por uma equipe de profissionais preocupada em alertar a população sobre aspectos relacionados à deficiência auditiva.

Nossas Rede Sociais