(D)Eficientes na empresa? Transforme cotas em motivação, produtividade e resultados!

deficientes na empresaO mercado de trabalho é altamente competitivo em todos os níveis e segmentos. A cada dia os profissionais são mais exigidos em termos de capacidade de realização, produtividade, conhecimento, atualização, inteligência emocional, comunicação e tantos outros pontos. Para a pessoa com deficiência, este quadro se agrava ainda mais. Mesmo com a Lei de Cotas (Lei nº 8.213/91), ainda é nítida a exclusão no mercado de trabalho. No Brasil, temos 45,6 milhões de pessoas com deficiência e, em 2010, de acordo com o Censo (IBGE), mais da metade da população ativa com alguma deficiência estava desempregada.

Com altos índices de desemprego e seleções cada vez mais rigorosas para se ocupar cargos tanto na área privada quanto pública por todo o país, é essencial que as pessoas com deficiência (PcDs) e necessidades especiais (PNEs) estejam cada vez mais qualificadas e preparadas para lutar pelo seu espaço na carreira que sonhou. O problema, entretanto, reside na falta de acesso à educação de qualidade, à qualificação profissional e ao crescimento na carreira. A luta por um lugar ao sol é árdua!

Outro grande problema ainda é o pensamento de que esses trabalhadores são sinônimos de aumento de custos e redução de produtividade. Ledo engano! Ao se contratar uma pessoa com deficiência, mesmo não havendo um programa de inclusão, empresários, profissionais de RH e líderes devem estar engajados para que esses profissionais possam colocar em prática todo o seu potencial, tornando-se produtivos e gerando resultados como qualquer funcionário. Muitas vezes obtêm resultados acima da média pela sua dedicação e força de vontade em se superar. O oposto também ocorre, mas muitas vezes em decorrência de um ambiente hostil, inadequado e sem acessibilidade.

Diante disso, é preciso reconhecer as diferenças, identificar sonhos, necessidades, limitações, potenciais, habilidades, como com qualquer funcionário e equipe, e promover as ferramentas adequadas para que cada um possa dar o melhor de si.

Um exemplo simples ocorre quando temos um deficiente visual na empresa e observamos que nada é adaptado às suas necessidades, mantendo-se materiais impressos sem o uso do braile, computadores inacessíveis, falta de avisos sonoros e táteis, etc. Se a empresa adotar ferramentas adequadas, como leitor de telas, piso tátil, corrimões etc., proporcionará as mesmas condições e oportunidades, permitindo que ele exerça sua função e atividades de forma a gerar os resultados que a empresa precisa, alcançando metas e objetivos. Cabe ressaltar que a maioria das adaptações é simples e de baixo custo.

É de extrema importância, portanto, que os líderes estejam preparados para agir de forma inclusiva, integrando cada membro da equipe, identificando as diferenças e aproveitando a diversidade em prol do todo. Neste contexto, a luta continua, possibilitando a inclusão de cada vez mais cidadãos no mercado de trabalho independentemente do tipo de deficiência, pois, uma vez “incluídos”, podem e devem ser reconhecidos como profissionais com independência financeira e auto realização, sendo produtivos com autoestima elevada e autonomia nas atividades do seu dia a dia, conseguindo, assim, levar uma vida plena e feliz.

Para tornar isso possível, o Congresso de Acessibilidade trará, entre 6 e 12 de dezembro, mais de 20 palestras sobre temas relacionados à carreira, tecnologias assistivas, acessibilidade e inclusão nas empresas entre outros, todos voltados para a superação de obstáculos, visando o autoconhecimento e o acesso à informação, promovendo a inclusão no mercado de trabalho, a permanência no emprego e a ascensão na carreira profissional. Cabe ressaltar que será online, gratuito e acessível em Libras, para leitores de tela, contando ainda com legenda e audiodescrição, podendo assim ser acessado por computadores, tablets e celulares.

Dolores Affonso é coach, palestrante, consultora, designer instrucional, professora e idealizadora do Congresso de Acessibilidade (www.congressodeacessibilidade.com).

Prevalência de zumbido na cidade de São Paulo
Aconselhamento para crianças com AASI ou implante coclear
The following two tabs change content below.

Juliana Tavares

Juliana Tavares é jornalista, empreendedora, editora de conteúdo e diretora de atendimento da j2 Comunicação. É, ainda, colaboradora da Eaxdesign, em portais de negócios, comportamento, inclusão social e turismo.

Últimos artigos por Juliana Tavares (Ver todos)

 

Nenhum comentário

Seja você o primeiro a deixar seu comentário!

Deixar um comentário

 
 



 

Sobre nós


O portal Deficiência Auditiva foi idealizado por uma equipe de profissionais preocupada em alertar a população sobre aspectos relacionados à deficiência auditiva.

Nossas Rede Sociais